Conheça os tipos de obesidade

Quanto maior o IMC, maiores são os riscos de se desenvolver doenças relacionadas à obesidade.

Entretanto, mais importante do que a quantidade de gordura é a maneira como esta se distribui no corpo, pois é aí que está o risco das complicações.




Por esse motivo antes de mais nada, você precisa saber quais os tipos de obesidade que existem e qual o que você tem.

Conheça agora os tipos de obesidade

1 – Obesidade Ginecóide (feminina) ou Periférica

os tipos de obesidadeA gordura se localiza principalmente na região inferior do corpo, que compreende os quadris, as nádegas e as coxas.

Este tipo de obesidade é mais comum nas mulheres e dá ao corpo o formato aproximado de uma pêra, por isso também é chamado de obesidade em pêra.

2 – Obesidade Andróide (masculina) ou Central

A gordura se deposita predominantemente na região da cintura (barriga).




Este tipo de obesidade é mais comum nos homens, e faz com que o corpo se assemelhe a uma maçã, por isto também é chamada de obesidade em maçã.

Algumas pessoas podem apresentar um tipo misto de obesidade, em que existe tanto um excesso de gordura na região periférica como central do corpo.

Como se avalia na prática estes diferentes tipos de obesidade e qual é o significado deles? É o que veremos a seguir.

A maneira mais fácil de determinarmos o tipo de obesidade é através da medida da cintura.

Para determinarmos essa medida, passamos uma fita métrica em torno do abdômen, na altura da cicatriz umbilical.

Nas pessoas nas quais a gordura é localizada um pouco mais abaixo devemos medir a cintura na região onde existe um acúmulo maior de tecido adiposo.

De acordo com o tamanho da sua cintura, poderemos saber qual é o grau de risco em que se encontra no sentido de desenvolver doenças relacionadas à obesidade.

HOMENS MULHERES
Até 90 cm – Normal Até 80 cm – Normal
90-94 cm – Risco Médio 80-84 cm – Risco Médio
90-102 – Risco Alto 84-88 cm – Risco Alto
Acima de 102 cm – Risco muito alto Acima de 88 cm – Risco muito alto

Relação Cintura/Quadril (RCQ)

Uma outra maneira de avaliar a distribuição da gordura é através da Relação Cintura/Quadril (RCQ). Isto pode ser feito dividindo-se a medida da cintura pela medida do quadril.




O quadril deve ser medido passando-se a fita métrica em torno dos glúteos, no seu maior diâmetro , utilizando-se como referencia a altura onde a cabeça do fêmur se encaixa no osso da bacia.

Uma RCQ acima de 0,9 para homens e acima de 0,8 para mulheres é indicativo de excesso de gordura abdominal.

Ao longo das duas últimas décadas, foi observado que aqueles que apresentam uma deposição de gordura na região central do corpo, tem um risco extremamente maior de desenvolverem as clássicas complicações da obesidade – hipertensão arterial, diabetes mellitus tipo 2, alterações do colesterol e triglicerideos, e doença vascular, cardíaca ou cerebral.

É importante ressaltar que, muitas vezes, pequenos aumentos de peso em que a gordura se localiza no abdômen, trazem maior risco do que um aumento de peso maior no qual a gordura se localiza nas regiões mais periféricas.

Portanto, é mais importante muitas vezes a localização da gordura do que a quantidade dela existente no corpo.

Isto explica porque as doenças cardíacas e cerebrais como o infarto e os derrames são muito mais comuns nos homens, que tem predominantemente obesidade abdominal, do que nas mulheres, que geralmente são obesas periféricas.

Fonte principal: Dr. Perseu Seixas de Carvalho – Escelsanet



Esperamos que tenha achado úteis estas informações sobre os tipos de obesidade e que tenha conseguido identificar qual o tipo que você tem.

Gostou deste post? Compartilhe-o com seus amigos:
Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+1Pin on Pinterest0
18 Comentários

Deixe o seu comentário

ATENÇÃO: antes de enviar a sua pergunta ou comentário, leia atentamente nossa Política de Comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *