O que é bom para gordura no fígado

A esteatose hepática, também conhecida como fígado gordo ou fígado gorduroso, é uma condição que, como o nome indica, acontece por uma acumulação de gordura no fígado.

Muitas vezes causada pelo consumo excessivo de álcool, a esteatose também pode surgir em outras situações, como em pessoas com triglicerídeos ou colesterol elevado, excesso de peso, diabetes, etc.




Normalmente, o fígado possui pequenas quantidades de gordura que correspondem a aproximadamente 10% do seu peso. Quando o percentual exceder este valor, somos confrontados com um fígado que está acumulando gordura.

Quanto maior e mais prolongada for a acumulação de gordura no fígado, maior será o risco de lesão hepática.

o que é bom para gordura no figadoQuando há um excesso muito grande de gordura por um longo período de tempo, as células hepáticas podem ser danificadas e o fígado inflamar-se.

Este quadro é denominado esteato-hepatite ou hepatite gordurosa e é bem mais preocupante do que a esteatose, já que cerca de 20% dos pacientes evoluem para a cirrose.

Deve aqui ser notado que só alguns pacientes com esteatose hepática evoluem para a esteato-hepatite.

Causas de gordura no fígado

Não se sabe exatamente por que alguns indivíduos desenvolvem esteatose hepática, mas alguns fatores estão claramente relacionados com a doença.




Estas são as suas principais causas:

– Obesidade. Mais de 70% dos pacientes com esteatose hepática é obesa. Quanto maior for o excesso de peso, maior será o risco.

– Triglicerídeos e colesterol com níveis acima do normal.

Consumo abusivo de bebidas alcoólicas.

– Desnutrição ou perda rápida de uma grande quantidade do peso corporal.

– Diabetes Mellitus. A diabetes tipo 2 e a resistência à insulina estão estreitamente relacionadas com a acumulação de gordura no fígado.




– Alguns medicamentos também podem promover a esteatose. Os mais conhecidos são: corticosteroides, amiodarona, medicamentos anti-retrovirais, diltiazem e tamoxifen. A reposição hormonal com estrogênio também parece ser um fator de risco. O contacto com alguns tipos de pesticidas também está relacionado com o desenvolvimento de esteatose hepática.

– As cirurgias abdominais, especialmente o “bypass gástrico”, removendo partes do intestino, podem colaborar no desenvolvimento do transtorno.

No entanto, é importante destacar que não é necessário ter qualquer uma das condições listadas acima para ter esteatose hepática. Tem pessoas magras, saudáveis e com baixa ingestão de álcool que também podem apresentá-la, apesar deste fato ser bem menos comum.

Graus de esteatose hepática

Geralmente, é possível verificar a quantidade de gordura acumulada no fígado por meio de uma ultrassonografia.

Os exames geralmente indicam esteatose hepática grau 1 quando tem pouca gordura acumulada, grau 2 quando a acumulação é moderada e grau 3 quando há uma grande acumulação de gordura no fígado.

O que é bom para gordura no fígado

Não existe um tratamento médico específico para a esteatose hepática.

O objetivo deve ser o tratamento dos fatores de risco mencionados acima: a fase da esteatose pode ser revertida apenas com mudanças no estilo de vida.

A redução do peso é provavelmente a medida mais importante. No entanto, deve limitar-se a um máximo de 1,5 kg por semana para prevenir o agravamento do quadro.

A atividade física regular também ajuda muito, pois reduz o colesterol e aumenta o efeito da insulina no organismo.

Em pacientes com obesidade mórbida, a cirurgia bariátrica pode ser uma opção necessária.

Deve-se controlar o colesterol, os triglicerídeos, a diabetes, e se for possível, trocar os medicamentos que possam estar contribuindo para a esteatose.

Remédios naturais para o fígado gorduroso

Os seguintes remédios naturais podem ajudar a melhorar a função do fígado.

– Cardo mariano

Embora ainda sejam necessários mais estudos para provar os benefícios que o cardo mariano pode proporcionar para o fígado, tudo parece indicar que esta planta medicinal melhora a função hepática, aumenta a regeneração do fígado e ajuda na quebra da gordura que causa a esteatose.

O cardo mariano está disponível em forma de suplementos em ervanárias e algumas farmácias que vendem suplementos naturais. É tomado de acordo com as instruções da embalagem.

– Gengibre

Estudos preliminares mostram que o gengibre pode ser bom para o fígado gordo. Esta raiz contém antioxidantes e também ajuda a reduzir os triglicerídeos.

Você pode fazer um chá de gengibre triturando 2 colheres de sopa da raiz. Misture com água quente, deixe descansar por alguns minutos e tome.

Outra opção é adicionar o gengibre ralado nas suas saladas.

– Toranja

Esta fruta não só serve para pré-diabetes, mas também pode ser boa para a gordura no fígado.

Acredita-se que também possa diminuir a gordura corporal, um fator que como já vimos contribui para a esteatose hepática.



Esperamos que estas informações sobre o que é bom para gordura no fígado lhe sejam de bastante utilidade.

Gostou deste post? Compartilhe-o com seus amigos:
Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Pin on Pinterest0

Deixe o seu comentário

ATENÇÃO: antes de enviar a sua pergunta ou comentário, leia atentamente nossa Política de Comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *