A importância das proteínas

Atualizado: 12/05/2017

As proteínas estão entre os nutrientes mais importantes para o nosso organismo, pois formam a parte estrutural das células, que os outros nutrientes depois irão preencher.

Poderíamos dizer que as proteínas constituem uma espécie de “esqueleto” celular, fundamental para a nossa vida assim como a conhecemos.

Nos ossos, por exemplo, o cálcio, o magnésio e o fósforo ficam dentro de uma estrutura formada por proteínas. Músculos, tendões, unhas, pele, cabelo, membranas, são todos formados por proteína.

A importância das proteínas para o nosso organismo

Se você estiver querendo emagrecer, saiba que as dietas de proteína funcionam seguindo o princípio de que elas sinalizam o cérebro com uma sensação de saciedade. Desta maneira, impedem a ingestão exagerada de outros alimentos com alto teor calórico e baixo poder nutricional.

Importância das proteínasPor outro lado, se a sua meta for ganhar massa muscular, é importante ressaltar que as dietas ricas nestes nutrientes são essenciais.

Lembre-se que todos os alimentos com alto teor proteico ajudam na construção dos músculos de maneira saudável.

Os tipos de proteína

De acordo com a origem ou fonte, existem dois tipos:

1- Proteínas de origem animal

São insolúveis, devido a sua estrutura molecular, e concentradas, contendo em ótimas quantidades os aminoácidos essenciais para o nosso corpo.

Dentro deste grupo podemos encontrar as esfero proteínas ou proteínas globulares (constituídas por líquidos orgânicos), assim como as protaminas e histonas (encontradas nas ovas de peixe).

2- Proteínas de origem vegetal

Como o nome já diz, são as provenientes de plantas, principalmente dos cereais e fornecem um pouquinho de cada um dos aminoácidos essenciais em proporções diferentes.

Do ponto de vista das suas funções, podemos classificá-las em seis categorias diferentes:

– Estruturais

Fazem parte de todos os tecidos dando-lhes elasticidade, rigidez e consistência (exemplos: colágeno, actina, miosina, queratina, fibrinogênio e albumina).

– Hormonais

Exercem funções específicas sobre algum órgão ou estrutura do organismo (por exemplo, a insulina).

– Defensivas

Participam em várias funções de defesa do nosso organismo (exemplos: os anticorpos, o fibrinogênio e a trombina).

– Energéticas

O organismo pode obter energia a partir dos canais que as compõem.

– Enzimáticas

As enzimas são proteínas capazes de catalisar reações bioquímicas e suas funções dependem da sua estrutura.

Antigamente, acreditava-se que cada enzima era capaz de catalisar somente um tipo de reação química, entretanto, hoje sabemos que algumas são capazes de catalisar diferentes tipos de reações.

– Condutoras

O transporte de gases (principalmente do oxigênio) é efetuado pela hemoglobina e hemocianina, proteínas encontradas nos glóbulos vermelhos.

Uma dieta rica em proteína ajuda a emagrecer e manter o peso

Já se sabe há muito tempo que uma alimentação baseada em alimentos com proteína ajuda a ganhar músculos e também a reduzir medidas e gordura.

Contudo, um novo estudo mostra que também é eficaz na manutenção do peso para aquelas pessoas que já conseguiram emagrecer.

É isto que concluiu uma pesquisa sobre nutrição realizada em oito países europeus (Dinamarca, Holanda, Reino Unido, Bulgária, Grécia, República Tcheca, Alemanha e Espanha).

Este é um dos resultados preliminares do Projeto Diógenes (Dieta, Obesidade e Genes), realizado entre famílias destas oito nações, conforme informou a Universidade de Navarra, na Espanha, que participou do estudo.

A pesquisa afirma que aumentar o consumo de proteínas na dieta evita recuperar os quilos eliminados após emagrecer.

Pelo que puderam constatar, os pesquisadores concluíram que o índice glicêmico dos alimentos, relacionado aos açúcares, não desempenha um papel relevante.

Os adultos que participaram do estudo foram acompanhados durante seis meses.

Eles deveriam perder pelo menos 8% de seu peso antes de que toda a família se submetesse ao processo.

No total, 763 indivíduos emagreceram uma média de 11,2 quilos por pessoa.

Após essa fase, 565 famílias (763 adultos e 787 crianças) seguiram cinco dietas diferentes.

A distribuição das dietas foi realizada de forma aleatória e da seguinte maneira:

– quatro combinaram diversas proporções nas refeições de proteínas e de carboidratos;

– a quinta se baseou nos hábitos alimentares da família, mas com conselhos sobre alimentação saudável.

As pessoas que receberam uma dieta com alto índice de proteínas não recuperaram o peso perdido, enquanto as demais ganharam entre 2 e 2,5 quilos após emagrecer.

Os resultados definitivos do projeto foram apresentados no Congresso Europeu da Obesidade, que aconteceu em Amsterdã, Holanda.

Conclusão

Se você está procurando um programa eficaz para emagrecer, pode apostar numa dieta rica em proteínas.

No entanto, lembre-se que o segredo para reduzir o peso com saúde é uma dieta o mais equilibrada possível.

Por tanto, não elimine os carboidratos totalmente, pois são a nossa principal fonte de energia. Apenas reduza o seu consumo e aumente a ingestão de alimentos proteicos (carne, peixe, ovos, leite e derivados, etc.) com baixo teor de gordura.

Esperamos que tenha gostado destas informações sobre a importância das proteínas para o nosso organismo e como uma dieta rica nestes nutrientes pode ajudar a emagrecer sem recuperar o peso eliminado.

Gostou deste artigo? Ajude-nos a divulgá-lo:
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Pin on Pinterest

Deixe aqui a sua pergunta ou comentário:

Antes de enviar uma pergunta, leia nossas Regras Para Comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *